Onde Está Deus Agora?

Para melhor leitura e estudo desta mensagem, recomendamos que baixe o ficheiro PDF.
Em tempos de calamidade, como por exemplo nesta Pandemia Covid-19, muitos questionam “onde está Deus”. Muitas pessoas estão a morrer, o mundo está em standby, as pessoas estão com medo e outras desesperadas. E estas questões são legítimas, são válidas.

Parece que a igreja muitas vezes quer empurrar para o lado estas questões, e simplesmente dizer, “temos de confiar, temos de ter fé”. Mas na realidade, Deus compreende e percebe as tuas questões, pois Ele quer revelar-te QUEM ELE É. Ele quer manifestar A VERDADE. Vamos então ver a resposta a essa questão.

Não podemos minimizar a situação que vivemos hoje, nem a resposta para estas questões que são, no fundo, de aspeto espiritual e anímico. Há a necessidade urgente de uma resposta pragmática. E nós, como ministério REMAR, estamos a pôr a mão no arado para apoiar pessoas em estado de vulnerabilidade, dia a após dia, levando uma esperança prática.

Sendo assim, a Igreja e a Ciência têm um grande papel prático. Não podem ser separadas, pois a Ciência foi dada por Deus aos homens, antecipadamente, e está dessa forma de mãos dadas à Fé. A questão não é se confiamos em Deus ou se confiamos num avanço científico que nos leve a uma vacina ou a uma cura. A questão é que necessitamos de ambas.

Não estamos a usar a pandemia como pretexto para uma mensagem. Não! A mensagem é, e sempre foi a mesma. É a Palavra de Deus. E a Palavra de Deus tem resposta. Tem indicações para nos ajudar nesta e em todas as situações da nossa vida. Assim que, é bom que nos questionemos a nós mesmos, e que perguntemos a Deus sobre o que nos acontece.

Para poder responder a esta pergunta, vamos ao EPICENTRO DA HISTÓRIA DE JESUS, na qual toda a nossa fé cristã está ancorada. Vamos ver que no meio da Páscoa que se celebrava na Palestina daquele então, onde o povo hebreu estava sob o domínio do império romano, naquele episódio inigualável e determinante para a humanidade, e que ocorreu num período de 3 dias, foram suficientes para Jesus realizar a nossa eterna salvação, dando a Sua vida para tirar os pecados deste mundo.

SEXTA-FEIRA, DIA DA MORTE DE JESUS

Chamamos Sexta-feira Santa ao dia em que Jesus morreu na cruz do Calvário. “Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito; no qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão.” 1Pedro 3:18, 19.

Foi numa sexta-feira. No calendário judaico do primeiro século, parte do dia era considerado como um dia completo. E uma vez que Jesus esteve na sepultura parte da sexta-feira, todo o sábado e parte do domingo, eram considerados três dias que Jesus esteve na sepultura.

A morte de Jesus
“E desde a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra, até a hora nona. Cerca da hora nona, bradou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, Lama Sabactani; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mateus 27:45,46  

“De novo bradou Jesus com grande voz, e entregou o espírito.
E eis que o véu do santuário se rasgou em dois, de alto-a-baixo; a terra tremeu, as pedras se fenderam.” Mateus 27:50,51  

Aqui estamos no primeiro dia, na sexta-feira, mas Jesus disse que no terceiro dia, ressuscitaria. “Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o filho do homem três dias e três noites no seio da Terra.” Mateus 12:40.

E vemos em seguida que aquilo que Jesus tinha dito, aconteceu:  

Foi no domingo, a Sua ressurreição
“Ora, passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo. E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro muito cedo, ao levantar do sol, e diziam umas às outras: Quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro?

Mas, levantando os olhos, notaram que a pedra, que era muito grande, já estava revolvida; e entrando no sepulcro, viram um moço sentado à direita, vestido de alvo manto; e ficaram atemorizadas. Ele, porém, lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; Ele ressurgiu; não está aqui; eis o lugar onde o puseram.

Mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro, que Ele vai adiante de vós para a Galileia; ali o vereis como Ele vos disse.” Marcos 16:1

Vemos aqui que o Filho de Deus, Jesus Cristo, o Nazareno, que morreu no primeiro dia, na sexta-feira, ressuscitou ao terceiro dia, tal como tinha prometido. Pois tudo o que Ele promete, cumpre. Ele não pode negar a sua essência, que é fidelidade. Este é o plano de salvação para toda a humanidade!

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que Nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o Seu Filho ao Mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê Nele, não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no Nome do unigénito Filho de Deus.” João 3:16-18

Aqui vemos a manifestação do desejo de Deus para toda a Criação. Ele não veio para condenar o mundo, mas para salvar o mundo! E pede-nos unicamente que creiamos Nele.

Jesus tomou sobre Ele o sacrifício na Sexta-Feira, e consumou a ressurreição, no Domingo. No entanto, no meio de tantas perguntas, uma que sempre surge, “Porque Deus permite que tantos inocentes sofram e pereçam?”

E aqui vamos ao aviso de Deus através de Jeremias.

“Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por Ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Também pus atalaias sobre vós dizendo: Estai atentos à voz da buzina. Mas disseram: Não escutaremos. Portanto ouvi, vós, nações, e informa-te tu, ó congregação, do que se faz entre eles! Ouve, Tu, ó Terra! Eis que eu trarei o mal sobre este povo, o próprio fruto dos seus pensamentos; porque não estão atentos às minhas palavras; e quanto à minha lei, rejeitaram-na.” Jeremias 6:16-19  

Quando se refere a procurar “as veredas antigas”, o “bom caminho” para nele andar, está a referir-se à busca do homem pelo seu Criador, pelo seu Salvador, por Jesus. Pois Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida.

O grande problema é relatado. O mal que vem sobre a Terra é fruto dos próprios pensamentos do homem. É fruto de não quererem atender ao bom conselho de Deus.

A questão de fundo é esta: Muitos sofrem devido ao dano colateral da maldade dos homens, pela sua avareza, pelo seu egoísmo. Por isso a Bíblia refere que devido à multiplicação da Maldade dos homens, o Amor de muitos se esfriará, e serão trespassados com muitas dores.
O DIA CENTRAL DA PÁSCOA – O SÁBADO

Mas vamos ao dia central desta Páscoa. O sábado, o qual é referido em Marcos de forma explícita e em Mateus de forma implícita, quando José de Arimateia vai pedir o corpo de Jesus a Pilatos.

JESUS É SEPULTADO
“Mas ao cair da tarde, como era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, José de Arimateia, membro ilustre do sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cobrando ânimo, foi a Pilatos e pediu o corpo de Jesus.” Mar 15:42,43  

JESUS É SEPULTADO
“Ao cair da tarde, veio um homem rico de Arimateia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. Esse foi a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que lhe fosse entregue. E José, tomando o corpo, envolveu-o em um pano limpo, de linho, e depositou-o no seu sepulcro novo, que havia aberto na rocha; e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se. Mas achavam-se ali Maria Madalena e a outra Maria, sentadas defronte do sepulcro.” Mateus 27:57-61  

GUARDA DO TÚMULO
“No dia seguinte, isto é, o dia depois da preparação, (no sábado, quando segundo a lei não podiam fazer isso), reuniram-se os principais sacerdotes e os fariseus perante Pilatos, e disseram: Senhor lembramo-nos de que aquele embusteiro, quando ainda vivo, afirmou: Depois de três dias ressurgirei.

Manda, pois, que o sepulcro seja guardado com segurança até o terceiro dia; para não suceder que, vindo os discípulos, o furtem e digam ao povo: ressurgiu dos mortos; e assim o último embuste será pior do que o primeiro. Disse-lhes Pilatos: tendes uma guarda; ide, tornai-o seguro, como entendeis. Foram, pois, e tornaram seguro o sepulcro, selando a pedra, e deixando ali a guarda.” Mateus 27:62-66  

Para entendermos isto bem, temos de voltar àquele tempo na Palestina, e à forma como era medido o tempo, cujos horários eram bem diferentes com o nosso modelo ocidental, de 24 horas.

Sabemos que Jesus morreu à hora nona, tal como relata o Evangelho de Lucas.

A MORTE DE JESUS
“Era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, pois o sol se escurecera; e rasgou-se ao meio o véu do santuário. Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou.”
Lucas 23:44-46  

A hora sexta era às 12:00 horas, (meio-dia), e a hora nona, era às 15:00 horas. O pôr-do-sol naquele tempo, em Jerusalém, seria entre as 18:00 e as 20.00 horas. Vamos considerar as 8 da tarde que se pôs-o-sol. Isto significa que as 8 horas da tarde, segundo a cultura judaica, no pôr-do-sol se iniciava um novo dia que terminaria ao pôr-do-sol do novo dia, no sábado, tal como constatamos já nas Escrituras.

SÁBADO, O SEGUNDO DIA  
Realçando que o novo dia começa na noite de a Sexta-Feira às 20 horas, já estava a começar o Sábado. E Jesus já tinha morrido havia cinco horas.

E José de Arimateia, um homem do concílio judeu, foi falar com Pilatos para pedir o corpo de Jesus para o sepultar no seu próprio túmulo. José era um daqueles amigos que seguia Jesus à distância. E no evangelho de João vemos que Nicodemos o ajudou. “E Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus de noite, foi também, levando cerca de cem libras duma mistura de mirra e aloés.

Tomaram, pois, o corpo de Jesus, e o envolveram em panos de linho com as especiarias, como os judeus costumavam fazer na preparação para a sepultura.” João 19:39, 40  


Assim que depois de obter autorização de Pilatos, retiraram Jesus da cruz, cumpriram a tradição de o envolver num pano de linho untado com especiarias, e levaram-no para um túmulo ali perto. E está claro que fizeram isto de forma rápida, sem tomarem o tempo necessário de acordo à tradição, pois eles guardavam a lei e o Sabat. Às 20 horas de sexta-feira tudo teria de parar.

Resumindo! Era sexta-feira, Jesus já estava no túmulo, rolou-se a pedra para fechar a sepultura, e colocaram-se guardas e concluía-se assim a morte e sepultamento de Jesus, tudo no mesmo dia. E começou assim o segundo dia, o Sabat, às 20 horas de sexta-feira.  

Estamos acostumados a passar por alto este segundo dia, (o sábado), para entrar logo no domingo da Ressurreição. Mas não nos esqueçamos de que este terceiro dia só se iniciou as 8.00 horas da tarde de Sábado, ao pôr-do-sol. Assim que, como estes dias eram apenas de 12 horas, o terceiro dia só se iniciou pela noite. E verdadeiramente Jesus ressuscitou ao terceiro dia.

Ao entendermos aqui os horários de acordo com a época do relato é de extrema importância. Assim que, tecnicamente, Jesus entregou o Seu espirito ao Pai, e morreu às 15 horas da tarde. E Jesus podia ter ressuscitado logo nesse mesmo dia. Podia ser logo às 20 horas.

Mas temos aqui um período de cerca de 28 horas entre a Sua morte e a Sua ressurreição. E neste tempo intermédio, não há comentários. Não há relatos do que tenha acontecido. E este é provavelmente o melhor tempo para perguntar, “Onde está Deus agora?”

Vejamos que este Jesus Homem tinha caminhado sobre as águas, e tinha ressuscitado dos mortos. Ele fez tanta coisa maravilhosa. Ele tinha poder e autoridade. Mas na Sua morte, era como se nada pudesse.

Este Homem que proclamou ser o Filho de Deus, agora estava morto. Agora não estava a acontecer nada. A cidade estava parada por causa do Sabat, e parecia que Deus não estava na “equação” de jeito nenhum. Assim que quero perguntar neste contexto, nesta “janela de 28 horas”, onde estava Deus?

A resposta a essa pergunta é a mesma para todos aqueles que perguntam “Onde está Deus agora?” Creio que Deus está agora em vários lugares, em todos os lugares.


1-Deus estava perto
Entendamos que neste segundo dia, neste sábado, os que criam em Jesus, estavam com medo e certamente pensavam: “Crucificaram o nosso líder, e depois vêm-nos buscar a nós. Se colocaram Jesus numa cruz, vamos ser os próximos, pois somos seus discípulos!”

Compreendemos que estes seguidores de Jesus estavam desanimados, frustrados, com medo? Eles temiam pela sua segurança. Provavelmente a questionar, “O que é que se está a passar?” ou “Onde está Deus agora, no meio de tudo isto?”

Onde estava Deus nestes dois dias em que os discípulos estavam cheios de medo, fechados nas suas casas, desanimados e cheios de questões? Deus estava perto! Não me refiro de maneira figurativa, ou de uma forma espiritual, mas literalmente!

Deus estava quando Jesus foi concebido e nasceu, e disse que o Seu nome seria Emanuel, Deus connosco. Deus sim, pois referimo-nos a Jesus em forma humana, o verbo feito carne, que caminhou na Terra, manifestou a Sua glória. Mas agora, esse mesmo Jesus estava sepultado num túmulo emprestado. Ele estava ali, literalmente, perto deles. Estava tão perto, que podemos ver na narrativa de João 20:1-5.

“No primeiro dia da semana Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra fora removida do sepulcro. Correu, pois, e foi ter com Simão Pedro, e o outro discípulo a quem Jesus amava, e disse-lhes: tiraram do sepulcro o Senhor, e não sabemos onde o puseram.

Saíram então Pedro e o outro discípulo, e foram ao sepulcro. Corriam os dois juntos, mas o outro discípulo correu mais ligeiro do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro. E, abaixando-se viu os panos de linho ali deixados; todavia não entrou.”

Estava tão perto, que foi e chamou Simão Pedro para ir com ela ao túmulo outra vez, e os dois discípulos correram.

“Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro e viu os panos de linho ali deixados, e que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte.

Então entrou, também, o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu e creu. Porque ainda não entendiam a escritura, que era necessário que Ele ressurgisse de entre os mortos. Tornaram, pois, os discípulos para casa.” João 20:6-10  

Eles nem precisavam ser grandes corredores, eles não estavam longe do túmulo, mas talvez apenas a uns 500 metros.

E no segundo dia, quando e onde ninguém sabia onde estava Jesus, na realidade, Ele estava muito perto deles. Ele estava ali. E Ele está perto de ti, de mim, de todos nós. Mas Ele não estava literalmente neste caso, já não estava naquele túmulo… Pois já sabemos o que sucedeu ao terceiro dia.


2-Deus está connosco. Ele é Deus connosco, é Emanuel

Jesus Cristo, através do Espírito Santo, continua a ser Emmanuel. Deus continua a estar, (e a ser), connosco. Deus não vai embora quando as situações se tornam mais duras. Ele não foge quando há maior pressão. Ele não se isola da Sua criação. Se esse fosse o caso, Jesus nunca teria entrado na História. Jesus nunca teria morrido numa cruz no meio de criminosos. Jesus é o Emanuel, é Deus connosco!

Deus quer que saibas que jamais estarás só, e que não haverá circunstância, provação, ou fase da tua vida na qual Jesus não esteja contigo.

Em Mateus 28:20 Jesus promete “...Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.”

Assim que quando nos perguntamos “Onde está Deus agora?”, Ele está connosco, ele está próximo. E no contexto destes três dias, Deus estava a responder a esta questão.

3-Deus está a trabalhar!

Ao ouvirmos esta afirmação, e olhando muitas vezes as circunstâncias, podemos contrapor, “a mim não me parece que Deus estivesse a trabalhar”. Quando as coisas parecem piorar, quando não vemos uma única notícia que manifeste melhoras de uma situação, quando temos uma história parecida como esta do “segundo dia”, do Sabat, de pausas, parecem-nos um bocado estranhas. Porquê uma pausa, porquê descansar?

Pensa comigo! Na Criação, Deus criou o homem no sexto dia e colocou-o no Jardim. Depois Deus formou a mulher. E deu-lhes mordomia, responsabilidade, e manteve com eles uma relação muito próxima. E ao sétimo dia, Deus o instituiu como Dia de Descanso.

No sétimo dia, Deus descansou!
“Assim foram acabados os céus e a terra, com todo o seu exército. Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera. E abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a Sua Obra que criara e fizera.”
Génesis 2:1-3.  

Na realidade, Adão e Eva não precisavam de um dia de descanso. Eles tinham chegado lá, um dia antes. Não tinham trabalhado. Não estavam cansados. Mas não era nesse sentido! Era o dia que era dedicado a comtemplar ao Senhor na Sua Obra. Ao comtemplar o Senhor, a majestade de Deus que criou todas as coisas, e que todas as coisas Nele subsistem, é o Sabat! No coração de Deus é assim!

Então compreendemos que neste Sabat, enquanto Jesus esteve sepultado, Deus, o Criador de todas as coisas, o Sustentador de todas as coisas, estava a terminar de fazer a MAIOR OBRA que jamais poderia ter sido feita pela Humanidade em todos os tempos. Ele fez por ti e por mim, algo que nenhum de nós poderia fazer!

“Por isso os judeus perseguiram a Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.” João 5:16, 17  

Há outros dois relatos na Escritura que nos dão indicações do que poderia estar a acontecer entre o primeiro dia e o terceiro dia daquela Páscoa.

“Por isso foi dito: subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora, isto - Ele subiu - que é, senão que também desceu às partes mais baixas da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu muito acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas.” Efésios 4:8-10  

E podemos ver em 1 Pedro 3:19, 20: “No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão; os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava, nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram através da água.”

Enquanto não podemos ver nenhum relato nos Evangelhos, podemos ver nestas cartas de Paulo, aquilo que estava a decorrer no SEGUNDO DIA, no dia do Descanso.

Na realidade, para além da nossa possível compreensão, Deus Todo-Poderoso estava a derrotar o Inferno, a derrotar a Morte, a derrotar o nosso pecado com o Seu PODER, a derrotar o poder da nossa condenação eterna. Ele estava a acabar com a “chuva” das nossas culpas e da nossa vergonha. E Ele estava a conquistar para todo o sempre, a Morte. Isto era o que Deus estava a fazer…

Quando parecia que nada estava a acontecer naquele Sabat, (naquele tempo de descanso que Deus tinha estabelecido na Terra), Ele estava a trabalhar arduamente para completar o Seu grandioso Plano da nossa Redenção.

E se de uma forma legalista e técnica, disseres, “Bem, na realidade era o Sabat, e assim Deus não estava a quebrar a Sua lei.” Ok! Deixa-me recordar-te que das 15 horas até às 20 horas, são cinco horas, e elas eram mais do que suficientes para que Ele concluísse todo o Seu trabalho.

Porque para Deus, um dia é como 1000 anos e 1000 anos como um dia! Fazendo a matemática, uma hora na economia de tempo de Deus, são 46 anos e meio. Assim essas 5 horas da Sexta-feira Santa, das 15 às 20 horas, Deus tinha todo o tempo que necessitava para fazer tudo aquilo que necessitava fazer.

Quando a Bíblia declara que Jesus, na Sua autoridade, desceu às partes mais baixas da Terra, Ele estava a trabalhar. Deus estava a culminar plenamente o trabalho de livrar-nos do poder das trevas.

“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Hades não prevalecerão contra ela”. Mateus 16:18  
“Para que, pela (Sua) morte, derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo.” Hebreus 2:14  

ONDE ESTÁ DEUS AGORA?

Deus está a trabalhar. Tu dizes, “Mas eu não posso ver”. Então espera pelo domingo! Porque está a chegar o domingo! Está a chegar o dia, no qual estes outros dois dias já passaram. E quando chegar esse dia, vamos então compreender o que Deus estava a fazer...

Deus está no meio de toda esta dor, de toda esta confusão, de toda esta angústia! Deus está a operar algo maravilhoso! E nós veremos o domingo! E veremos a pedra a ser tirada da porta do túmulo! Mas até chegar esse dia, ainda temos de resistir firmes na fé. Temos de reter a confiança em Deus e a firme segurança do futuro.

“Porque Dele fala Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque está à minha direita para que eu não seja abalado.” Atos 2:25  

“Sejam fortes e corajosos. Não temais, nem vos atemorizeis diante deles; porque o Senhor vosso Deus é Quem vai convosco. Não vos deixará, nem vos desamparará.” Deuteronómio 31:6  

Hoje, neste tempo da Pandemia, mais do que nunca, vemos que as multidões estão separadas no espaço, mas unidas no mesmo espírito. Estão a entoar hinos de salvação e de esperança, enaltecendo “quão grande é Deus”, (como o fizeram em Itália, por exemplo).

 Deus está a levantar a Sua Igreja! Deus está a despertar a Sua igreja! Há um cântico cantado pela igreja que diz que “Ele é Deus de milagres, Deus promessas, Caminho no deserto, Luz na escuridão”. E Ele está aqui connosco a transformar vidas!

Não podemos vê-Lo com nossos olhos físicos, mas sabemos que Ele está aqui. Assim que mesmo quando não o podemos sentir, ver, perceber, Ele está aqui! Ele está a trabalhar em nós! Mas como podemos saber isso? Da mesma forma que Ele trabalhou naquele segundo dia, no Sabat depois da crucificação de Jesus!

E, nesse mesmo contexto, “Onde está Deus agora?”


4-Deus está a obter o melhor resultado possível

O melhor resultado possível para Deus, é a Salvação de muitas almas, não de uma ou algumas, mas do máximo! E para tempos como estes, há Promessa de Deus.

Há um texto de Génesis 50:18-21 que fala sobre um rapaz, José, que foi traído pelos seus irmãos, que foi vendido como escravo e depois falsamente acusado de assédio, colocado na prisão, esquecido, mas que depois foi nomeado pelo Faraó como governador. E quando os seus irmãos o tornaram a encontrar, temeram perante ele. Consegues vê-lo na perspetiva do final da história, quando está frente a frente com os seus irmãos que tinham sido os responsáveis por tudo quanto ele tinha sofrido no passado?

“Vieram também os seus irmãos e prostraram-se perante ele e disseram: Eis-nos aqui por teus servos. E José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida. Agora pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles.”

Nota bem! “Vocês intentaram mal contra mim; porém Deus o intentou para bem… para conservar muita gente com vida.”

ONDE ESTÁ DEUS AGORA?

Deus está a fazer a coisa mais grandiosa que nem podes imaginar. Ele está a conservar muita gente com VIDA. Eu creio que Ele está a dar graça a muitas pessoas que necessitam dela neste momento!

Muitas pessoas podem estar a pensar, “Mas vamos lá a ver… Na realidade, será que necessitamos ainda dessa conversa fiada, de espiritualidade? Precisamos mas é de ventiladores, de máscaras, luvas, hospitais, e não dessa conversa fiada de que Deus faz isto e faz aquilo…”

Sim. Concordo que não necessitamos de conversa fiada, espiritual. Mas necessitamos de sabedoria, de ciência, para que sejam tomadas decisões sábias. Necessitamos, não somente que as pessoas vivam, mas que sejam libertas da morte. E para que isso aconteça, necessitamos de envolver Deus. Na verdade, que Ele tome o controlo…

Em Mateus 5.45 diz, “... Porque ele faz nascer o Seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.”

O sol nasce sobre os que maldizem Deus e sobre os que bendizem Deus. A chuva cai sobre os justos e sobre os injustos. Sabes o que é isto? É graça de Deus.

Eu creio que quem quer que esteja a lutar contra esta Pandemia, quer saiba ou não, quer creia ou não, está a receber a Graça de Deus! Jamais alguém pode passar por tempos como estes sem a ajuda de Deus Todo-Poderoso!

E Deus está a fazer mais do que dar-te recursos! Ele está a dar-te sabedoria, graça! Ele está a operar, a realizar um despertar espiritual, no qual muitíssimas almas vão voltar a sua face para Deus.

Mas vejamos, não há maior dor do que ver uma pessoa que consegue vencer o Covid-19, e voltar curado para uma vida sem Deus, sem qualquer relacionamento com o Seu Criador. Deus está a trabalhar agora para ver milhões de pessoas a despertarem no seu espírito… Há milhões de pessoas a experimentarem o livramento de culpas, de remorsos. Há muita gente a conhecer a liberdade em Cristo Jesus!

ONDE ESTÁ DEUS AGORA?
E QUE ESTÁ DEUS A FAZER NO MEIO DESTA PANDEMIA?

5-Deus está a oferecer misericórdia

Deus não está a julgar o mundo. Ele está a oferecer misericórdia!

Na continuidade do texto de 1 Pedro 3:20-22, fala sobre Noé. Deus mandou Noé construir uma Arca, e todos zombavam dele. Viria um julgamento sobre a Terra.

“Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava, nos dias de Noé, enquanto se preparava a Arca; na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram através da água; que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo; o qual está à destra de Deus, tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potestades.” 1Pedro 3:20-22.  

Noé foi considerado por Deus como justo, mesmo enquanto ele construía um barco para o qual ninguém via o uso… Ele anunciava que Deus estava a fazer um Caminho. Sabemos pela Bíblia que naqueles dias o mundo estava de costas voltadas para Deus.

As pessoas viviam de uma forma dissoluta e imoral, mas Deus estava a providenciar um Caminho, uma solução para a Humanidade! Ele tinha UM HOMEM a construir um barco no meio do nada. Ele estava a convidar as pessoas para que “entrassem” naquela Arca. Era um convite para receberem a misericórdia de Deus.

Em momentos como estes, nós perguntamos, “Onde está Deus?” Ele está a achegar-se a ti! Ele está a oferecer-te misericórdia, conforto!
Ele esta a dizer, “Eu estou aqui! Venho dar-te misericórdia. Venho dar-te refúgio.”

Nos dias de Noé somente oito pessoas correram para a misericórdia. Neste tempo, quantos estão a necessitar de um milagre! Sim, de um milagre médico, científico… Nós necessitamos de um milagre em que as pessoas corram para a misericórdia, para o refúgio seguro que é Jesus.

Deus está perto.
Deus está a trabalhar. Ele está a fazer a Sua mais grandiosa Obra!
Deus está a oferecer misericórdia, a ti e a mim!

E que significa para nós esse segundo dia, o Sabat? Podes dizer, ”Bem, não sou judeu, não guardo o Sabat.” Claro! Pois para nós, o Sabat, (dia de descanso), é domingo, certo?

Êxodo 20:8 recorda-te que o dia do sábado (o sabat) é para o santificar. Nós necessitamos do Sabat, por causa da nossa natureza. Nós necessitamos do Sabat para que nos recordemos da magnitude e da incontestável Suficiência de Deus para criar todas as coisas, e para resgatar todos aqueles que Ele criou! Que quer isso dizer?

É que nós não somos proprietários da nossa vida.
Nós somos apenas mordomos dela.

E no sétimo dia da Criação, no Sabat, é como se Deus dissesse, “Eu criei tudo isto e somente te estou a pedir que sejas mordomo daquilo que Eu criei.” Sabat significa que nós somos convidados a contemplar e a desfrutar da Criação de Deus. Nós fomos colocados aqui neste mundo com o objetivo principal de nos relacionarmos com o próprio Deus.

E isso significa que não somos nós que nos fazemos. Nós fomos feitos por Ele e para Ele. A nossa vida é para Ele e para a Sua glória. Toda a glória e honra é para Deus e não para ti ou para mim.

Nós estamos cá neste mundo para magnificar o Nome de Jesus. Nós somos dependentes Dele, e não independentes.

Nós não estamos no controlo. Deus está no controlo. Nós nunca estivemos no controlo. Pensamos que estamos no controlo, mas não estamos no controlo. Podes controlar os acidentes? Não! Eles acontecem! Podes controlar ser acometido de um cancro? Não, acontece! Podes controlar os desastres naturais? Não, eles acontecem…

A questão está em percebermos, hoje, que não estamos no controlo. Mas Deus está no controlo. E podes hoje mesmo render-te a Ele. Ele entregou-se por ti! Entrega-te agora a Ele, recebe a Sua vida. Sem Ele, estás vivo biologicamente, mas espiritualmente estás morto.

Deus esta perto. Deus está connosco. Deus está a trabalhar. Deus está a obter o melhor resultado. Deus está a oferecer misericórdia à humanidade. Ele é o Caminho. Não há outro. Que possas ainda hoje confessar com convicção:

“O Senhor é o meu Pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do Seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo; a Tua vara e o Teu cajado me consolam.

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na Casa do Senhor por longos dias.” Salmo 23:1-6

Pr. Luís Miguel Santos

Related Posts

No Comments


Recent

Categories

Archive

 2020

Tags